Inicio

Artigos

Aulas

Cursos

Eventos

Em breve

Programas

Em breve

Podcasts

Em breve

Web Séries

Inicio

Artigos

Aulas

Cursos

Eventos

Em breve

Programas

Em breve

Podcasts

Em breve

Web Séries

article image

Saiba como deixar o seu e-commerce mais atrativo

Você sabia que a experiência completa de compra pode ser melhorada com a ajuda do neuromarketing? Entenda essa história.

Por Sabrina Bezerra

Aumentar as vendas do e-commerce é um desafio para muitos varejistas. Em alguns casos, o site recebe um número significativo de visitantes, no entanto, as vendas são poucas ou nenhuma. E o motivo? A loja virtual possivelmente não é atrativa. Mas calma. Antes de sair mudando todo o layout, é importante entender que a experiência completa de compra pode ser melhorada com a ajuda do neuromarketing. Entenda abaixo e confira as dicas.

Nuvemshop

Nuvemshop, plataforma de e-commerce (Foto: Divulgação Nuvemshop)

O QUE É NEUROMARKETING?

Trata-se de um campo do marketing que estuda o comportamento do consumidor. Em outras palavras, "a ciência da psicologia humana. É um estudo das respostas do cérebro aplicadas ao marketing e a publicidade para tentar entender como ele funciona e processa as informações”, diz Paulo Crepaldi, especialista em comportamento e futuro. As análises são feitas por meio de eletroencefalograma e ressonância magnética funcional (que captam as reações dos consumidores).

E se você está montando um e-commerce, a StartSe liberou a aula gratuita sobre o que é preciso para construir um e-commerce de sucesso. Assista.

Neurociência, neuromarketing, cérebro

Neuromarketing: as análises são feitas por meio de eletroencefalograma e ressonância magnética funcional (que captam as reações dos consumidores).

NEUROMARKETING PARA VENDAS

A forma como os produtos são apresentados no seu site para os clientes em potencial contribui para engajar o consumidor. Neste cenário, a frase: a primeira impressão é a que fica nunca fez tanto sentido. Isso porque, segundo um estudo realizado pela universidade canadense Carleton University, as pessoas avaliam — e criam a primeira impressão — de um site em cerca de 50 milisegundos. Por isso, você tem pouco tempo para engajar o possível consumidor. 

“Imagine: quando a gente conhece uma pessoa pela primeira vez, seu cérebro, em segundos, define a percepção se você a acha legal ou não; se a pessoa se encaixa com os seus ideais. No e-commerce, é a mesma coisa. A primeira impressão é a mais importante. E-commerce é sobre confiança. O visitante precisa ter confiança em comprar naquele ambiente”, afirma Paulo. “Ou seja, precisa se sentir em casa”, completa o especialista. Mas afinal, como fazer isso? É preciso ter atenção a, ao menos, três comportamentos humanos, que podem ser usados na loja virtual. São eles:

1 - O poder de escassez 

Deixe visível a quantidade das últimas peças de seus produtos. Por exemplo: últimas quatro peças do estoque; peça nas próximas oito horas que você receberá amanhã; ou o desconto acabará nas próximas quatro horas. "Esse é um viés cognitivo que trabalha o poder de escassez. Ou seja, ele faz com que a nossa decisão possa ser tomada de maneira rápida, pelo nosso inconsciente. Daí, a gente acaba sentindo medo de perder uma boa oportunidade”, diz. 

2 - Validação social

Um estudo realizado pela Nielsen aponta que 84% das pessoas compram após ter indicação de amigos e familiares. Quando o assunto é internet, 68% dos entrevistados disseram que confiam nas opiniões dos consumidores postadas online. "Elas confiam nos reviews online tanto como uma recomendação pessoal. Por isso, a validação social é extremamente importante porque traz o sentimento de confiança e segurança. As pessoas querem se sentir seguras no ambiente digital", afirma Paulo.

3 - Cores

Outro ponto importante é a cor. “As cores impactam demais a tomada de decisão. Isso vem sendo utilizado pelo marketing e publicidade há muitos anos. O vermelho, por exemplo, traz a sensação de urgência; o azul, confiança; o preto mostrando produto de alta qualidade; o laranja e o amarelo diz que aquele produto não é tão caro. Ou seja, existem essas técnicas que eu acredito que possam ser fundamentais na construção de um e-commerce”, explica Paulo. Quer conhecer mais estratégias de marketing e vendas que engajam o consumidor? Clique aqui.

e-commerce, loja virtual, embalagem

e-commerce, loja virtual, embalagem (Foto: atomicstudio via Getty Images)

COMO MELHORAR A EXPERIÊNCIA NO E-COMMERCE

Lembre-se de deixar claro a dor que o seu produto soluciona e contextualizar na loja virtual. É o que aconselha Mylena Gama, head de comunicação e marca da Nuvemshop. “É preciso entender o que o seu produto soluciona e mostrar isso a partir do layout e do design, por exemplo", diz ela. Além disso, é preciso ter atenção: não ofereça muitas opções, que faça o visitante do site ter de clicar muitas vezes. “Evite excesso de opções e de cliques. Deixe a coisa mais intuitiva. Lembre-se: o segredo da venda online é a simplicidade. Quanto mais simples você agilizar a tomada de decisão do consumidor, melhor”, aconselha Paulo. Mas como melhorar na prática a experiência do cliente na loja online? Confira abaixo:

Tenha categorias de produtos

Paulo diz que é preciso evitar criar novos elementos, que são diferentes da maioria dos sites. “Se o campo de categorias ou de compras estiver muito diferente do tradicional, as pessoas ficam perdidas e acabam desistindo daquela compra”, afirma ele. Mylena diz que o nome das categorias deve ser intuitivo e aconselha: “eu gosto de pensar sempre na dor que o produto está solucionando. Por exemplo, se a loja vende roupa infantil para ficar em casa, o ideal seria criar uma categoria do tipo roupa para ficar em casa”, diz. Mas não é uma regra. “Pode separar por coleção, nome do designer, entre outros”, porém sempre seguindo uma lógica coerente. 

Use muitas imagens 

“Somos seres humanos visuais. Primeiro, vem a imagem; depois as palavras. O uso de imagens é extremamente importante para direcionar o impulso do consumidor para aquele produto ou serviço”, diz Paulo. Por isso, é importante “produzir fotos de alta qualidade, com boa iluminação e um fundo legal”, afirma Mylena. Só é preciso ter cuidado para não incluir na plataforma fotos que sejam pesadas demais porque pode demorar para carregar e, consequentemente, o consumidor pode abandonar o site.

Dê atenção ao título e à descrição

Para o título, o ideal, segundo Mylena é “colocar nomes específicos dos produtos. Você está em uma loja virtual e não pode colocar apenas produto 1, 2 e 3”. Seja criativo. Quando o assunto é descrição dos produtos é preciso tomar cuidado com exageros. “Não inclua muitas qualidades do tipo: o melhor produto, pois não necessariamente é. Opte em escrever a utilidade do item, como as dimensões, por exemplo”, afirma Mylena. E Paulo alerta: "de forma alguma tenha excesso de texto." 

Ofereça cupom de desconto e segurança

Mostre ao cliente que o site é seguro. Deixe visível todas as normas de segurança e privacidade. Além de e-mails, redes sociais e telefone para contato. Ofereça cupom de desconto - pode ser por meio de banners - só tenha cuidado para “não incluir muita informação. O importante é fazer o banner com foto e elencar o que aquele produto vai trazer de bom para o cliente”, diz Mylena. Afinal, o banner serve como um anzol para fisgar o cliente", afirma Paulo. 

E por fim, fica o último recadinho: quando o cliente tem uma boa experiência no site, ele fica feliz e libera dopamina — o que provoca a sensação de prazer e aumenta a motivação. “Quanto mais libera, mais a pessoa vai repetir a ação”, afirma Paulo.