Inicio

Artigos

Aulas

Cursos

Eventos

Em breve

Programas

Em breve

Podcasts

Em breve

Web Séries

Inicio

Artigos

Aulas

Cursos

Eventos

Em breve

Programas

Em breve

Podcasts

Em breve

Web Séries

Meu Perfil

Sair

Notificações

Nenhuma notificação para mostrar

Favoritos

Nenhum item foi favoritado

De assistente virtual à vending machines: Evino adota novas maneiras de vender vinho

O e-commerce de vinhos cresceu 62% em faturamento em 2020

Por Tainá Freitas

O consumo de vinho cresceu 18% no Brasil em 2020, de acordo com Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV). Esse crescimento se refletiu na operação da Evino, e-commerce especializado, que teve um aumento de 62% em faturamento no ano passado.

A bebida alcóolica se tornou a preferida do segmento para muitos brasileiros em períodos de isolamento – e a Evino está diversificando sua maneira de oferecê-la aos usuários.

A primeira delas é uma assistente virtual. O e-commerce de vinhos se juntou à startup Wine Locals para lançar a Pipa, que recomenda vinhos de acordo com as respostas dos usuários. A empresa também passou a vender vinho em “adegas compartilhadas”, no formato de vending machines.

 

COMO FUNCIONA A ASSISTENTE DIGITAL? 

Preço, tipo de vinho (branco, tinto, rosé...), nível de experiência e momento – beber no dia a dia, noite romântica ou assistir Netflix – são algumas das perguntas feitas pela Pipa.

Depois, ela sugere vinhos do portfólio da Evino que combinam com as respostas dos clientes, além de oferecer um cupom de R$ 20 de desconto. A iniciativa traz resultados: até agora, o índice de cliques para acesso na página dos produtos recomendados é de 53%. Já a conversão de pedidos – a compra dos rótulos sugeridos – é de 3%.

 

A CRIAÇÃO DA PIPA

Interface da assistente digital Pipa (foto: divulgação/Evino)

A Pipa foi desenvolvida pela Wine Locals, uma startup criada em 2020, em Porto Alegre, para mudar a experiência de comprar e consumir vinho. A empresa mapeou o comportamento de mais de 30 mil consumidores para criar soluções data-driven – começando pela Pipa.

A Wine Locals identificou cinco tipos de consumidores da bebida: iniciante, interessado, entusiasta, maduro e especialista. “Percebemos que o mercado do vinho está muito focado nos ‘maduros e especialistas’, olhando pouco para os novos consumidores, inclusive para os que surgiram na pandemia”, explica Diego Fabris, fundador da Wine Locals, em entrevista à StartSe.

 

AS ADEGAS COMPARTILHADAS

A Evino fez uma parceria com outra startup para oferecer outra forma inusitada de venda dos vinhos – desta vez, para a compra presencial. O e-commerce se uniu à Adega Compartilhada, empresa especializada em vending machines de vinho. A companhia é responsável por importar e gerir as máquinas.

O projeto está em fase piloto. Há máquinas instaladas em espaços de co-working da WeWork e no co-living Housi. “Temos vendido bastante neste modelo. Queremos nos colocar mais próximo do consumo e devemos ampliar além das vending machines”, afirma Eduardo Souza, co-CEO da Evino, em entrevista à StartSe.

 

O ANO DA EVINO

 

Eduardo Souza, co-CEO b2c e CMO da Evino (foto: divulgação/Evino)

Além do crescimento de 62% em faturamento, a companhia também aumentou o número de garrafas importadas. No ano passado, o volume foi 66% maior do que em 2019, ultrapassando 10 milhões de garrafas.

A empresa se tornou o maior e-commerce do segmento na América Latina. Esse feito, no entanto, não foi alcançado sem dificuldades. “Tivemos que encontrar novas formas de trabalhar em 2020. Aceleramos a importação, pois o ciclo de suprimento do vinho é longo, de quatro a seis meses”, explicou Souza. “Houve também o trabalho cultural de aprender a trabalhar em home office e proteger o negócio”.

Sua empresa está realmente preparada para disputar espaço com as empresas que já nasceram ou se tornaram digitais? Conheça o programa Transformação Digital para Empresas e construa seu plano de Transformação Digital para o próximo trimestre - antes de você gastar dinheiro com Tecnologia.